Mais Peruibe

Notícias

6 perguntas sobre Turismo para o Prefeito Luiz Maurício

O Portal Mais Peruíbe e o Portal Perui.be solicitaram do Prefeito Luiz Maurício, de Peruíbe, uma entrevista com 6 perguntas sobre a turismo na cidade. O Prefeito foi muito solícito e nos enviou as respostas que publicamos a seguir.

O Portal Mais Peruíbe e o Portal Perui.be solicitaram do Prefeito Luiz Maurício, de Peruíbe, uma entrevista com 6 perguntas sobre a turismo na cidade. O Prefeito foi muito solícito e nos enviou as respostas que publicamos a seguir.

Com relação a recente publicação de A Tribuna sobre a Lama Negra, em sua opinião qual deve ser o papel da administração pública nessa possível retomada da nossa Lama Negra como um atrativo turístico e econômico?

LM. – O papel principal da administração pública é, através de sua Secretaria de Saúde apoiar o desenvolvimento técnico e cientifico do produto Lama Negra, cuidar para que as obrigações com relação aos licenciamentos sejam executados pela empresa responsável pela mineração, manter os prédios públicos onde a lama negra é aplicada, em boas condições e através da Secretaria de Turismo, proporcionar um bom ambiente de organização e desenvolvimento do produto. 

Sabemos atividade turística é altamente adaptável ao contexto econômico. Nem sempre uma crise significa menos turistas. Nossa cidade, por exemplo, nesse momento consegue receber muitos turistas que procuram uma “opção mais barata de turismo”. O que pensa o prefeito a respeito da qualidade de nossos equipamentos e atrativos e o que acha que pode ser feito a médio e longo prazo para que a cidade consiga melhorar a qualidade do turismo, preservando, mantendo e arrecadando com esses equipamentos. A gratuidade compensa?

LM – A qualidade de nossos atrativos, via de regra, é boa, embora alguns como Mirante da Torre, por conta de degradação e abandono tenham que ser reformados e remodelados. Já existe o projeto de reforma do Mirante da Torre, do Lamário e do Portinho, e estamos em busca dos recursos para se efetuar as reformas. Alguns dos atrativos como Ruínas do Abarebebê, Lama Negra e Aquário já são cobrados, havendo a necessidade de implantação de cobrança no Museu Histórico e Arqueológico e no Museu Ufológico proposto no projeto de reforma do Mirante da Torre.

O Bairro do Guaraú, uma comunidade que mantém uma caraterística única que agrada a muitos turistas, incrustado no Mosaico da Juréia, é, sem dúvida, nosso melhor conjunto de equipamentos e atrativos, no entanto o bairro conta ainda com um acesso precário, que pode ser interditado a qualquer momento por qualquer acidente ou intempérie, como vimos recentemente. O que o senhor acha que a cidade deve fazer para que esta situação um dia tenha uma resolução efetiva. Na mesma questão, em quanto tempo teremos a estrada 100% liberada dos problemas causados pelas últimas chuvas.

Estrada do Guaraú bloqueada nas últimas chuvas

LM – Hoje a melhor solução é a constante manutenção da estrada e talvez a implementação de critérios de capacidade de carga para uso da estrada e acesso ao bairro. Qualquer outra solução envolvendo alternativas como construção de nova estrada ou túnel estão totalmente fora das condições econômicas do município.

Hoje a cidade de Peruíbe e a cidade de Itanhaém estão “desconectadas” uma da outra pela praia. Conseguimos sair de Praia Grande e chegar até o bairro do Gaivota sempre pela praia, quando somos interrompidos e obrigados a sair.Essa situação acarreta diversos problemas, e talvez o maior deles seja o reflexo no desenvolvimento do turismo da região e da cidade. O que pensa o Prefeito sobre essa região? Como a cidade pode retomar ou ao menos forçar a reavaliação da situação dessa área em prol do interesse público tanto de Itanhaém quanto de Peruíbe?

LM – Esta área está sob legislação federal que a considera terra indígena, não havendo no momento qualquer vislumbre de alteração desse status.

Sabemos que não se desenvolve o Turismo como atividade geradora de benefícios para a cidade se não houver participação das pessoas. Engajamento, como está na moda.Como o senhor avalia a participação do ConTur nesse contexto e qual o caminho para uma maior coesão da cidade de Peruíbe nesse sentido?

LM – Sem dúvida nenhuma o turismo se desenvolve com a participação principalmente da iniciativa privada. Nesse aspecto o Conselho Municipal de Turismo tem papel importante nesse desenvolvimento, devendo para isso representar efetivamente a vontade dos segmentos nele representados, com propostas definidas e viáveis dentro do orçamento do município.

Em recente palestra na Câmara Municipal, o Secretário de Turismo de Brotas, cidade referência em planejamento de investimento turístico, discorreu sobre o papel do Poder Público no início do Plano de Desenvolvimento Turístico de Brotas. Segundo o Secretário, foi fundamental o incremento orçamentário da Pasta, para que num período de 8 anos houvesse uma mudança perceptível pela população e fundamental para a consecução do Plano. O Senhor considera o atual orçamento do setor de Turismo da cidade suficiente? Qual estratégia o senhor consideraria para que o setor de Turismo pudesse incrementar os recursos a fim de dar conta da demanda de despesas?

LM – Com certeza o atual orçamento do município é insuficiente para atender todas as demandas do município, lembrando ainda que os investimentos básicos na saúde, em obras, na educação, nas questões ambientais e em outras áreas, também no fim da linha são investimentos em turismo e lembrando ainda, como foi destacado na palestra do Secretário de Turismo de Brotas, o essencial trabalho que lá é feito pelo empresariado. Realidade também de outras cidades como Bonito, Socorro e outras.

Comentários

Recomendados

Mais Peruíbe - Tudo que você quer e muito mais.

Copyright © 2016 Mais Peruibe

Sobe