Mais Peruibe

Cidadão

Smart Cities: como a gestão pública está atuando nesses novos modelos

Você sabe o que é uma Smart City? Parece coisa de ficção científica? Pois saiba que elas já são realidade e trazem ferramentas muito importantes para a gestão urbana.

Você sabe o que é uma Smart City? Parece coisa de ficção científica? Pois saiba que elas já são realidade e trazem ferramentas muito importantes para a gestão urbana.

A tradução simples é cidade inteligente e significa que ela utiliza a tecnologia para garantir serviços com mais qualidade para seus moradores. O assunto tem tudo a ver com a gestão pública e nesse texto vamos falar um pouco sobre como os gestores têm utilizado essa novidade.

Como uma Smart City funciona?

Cada Smart City tem as suas próprias demandas e características de funcionamento, mas a lógica é a mesma: utilizar a tecnologia para aperfeiçoar os processos de gestão e, ao mesmo tempo, torná-los mais eficientes, criativos e sustentáveis.

O objetivo é que, ao utilizar a tecnologia, os cidadãos possam participar mais das gestões que, por sua vez, também conseguem ficarem mais atentas às reais demandas sociais. Além disso, em muitas gestões a tecnologia é utilizada como uma ferramenta para as pessoas gastarem menos tempo para resolver diversas de suas demandas relacionadas à cidade.

Conferir o horário do ônibus por um aplicativo ou usar a internet para resolver alguma questão burocrática são alguns dos exemplos do que pode ser feito nesse sentido.

Soluções criativas para quase tudo

Ao conseguir integrar melhor gestão, moradores, empresas e parceiros, uma Smart City consegue encontrar soluções para resolver quase tudo nas mais diversas áreas. Para conseguir isso, os gestores precisam investir constantemente em aperfeiçoar seus sistemas e capacitar sua equipe, mas quem tem feito isso, garante que vale a pena.

Aliada a um planejamento bem feito, indispensável a qualquer gestão, a tecnologia tem ajudado os governantes a tomar decisões mais rápidas e assertivas, além de criativas, inovadoras e econômicas.

Isso sem falar que uma Smart City costuma ser muito mais ligada às questões ambientais e preocupada em implantar ações sustentáveis, que em longo prazo, beneficiarão também sua nova geração de cidadãos.

Por que eu devo olhar para essa área?

Além do que já falamos acima, qualquer gestor deve se atentar para o fato de que a população mundial nunca cresceu tanto. A estimativa das Nações Unidas, é a de que seremos 9,7 bilhões em 2050.

Com cada vez mais gente, os desafios das cidades só aumentam e não dá mais para um gestor querer continuar fazendo como faziam as gerações passadas. Assim, a Smart City surge não só como inspiração, mas também como solução possível.

Inspire-se!

A cidade de Songdo, na Coreia do Sul, é uma das maiores referências de Smart City existentes, visto que ela foi planejada com focos em tecnologia e sustentabilidade.

Em Songdo, os edifícios são conectados a sistemas que monitoram a energia, gerando mais economia e eficiência. Também foi implantado um sistema pneumático de coleta de lixo em todos os apartamentos que leva os resíduos diretos para a central de coleta.

Apesar de ainda começando, já temos no Brasil diversas cidades antenadas e investindo nesse tipo de solução. Belo Horizonte, por exemplo, já está utilizando a tecnologia para melhorar seus serviços de saneamento e investindo em energia solar.

E na sua cidade? Já se fala em Smart City? Se não, pode ser a hora de começar a olhar com atenção para essa possibilidade.

Comentários

Recomendados

Mais Peruíbe - Tudo que você quer e muito mais.

Copyright © 2016 Mais Peruibe

Sobe